Planejamento Tributário

Planejamento Tributário

Existem mais de 100 tipos de taxas diferentes, impostos e contribuições. Todos nós acabamos sendo contribuintes, direta ou indiretamente, de todos esses encargos.

Todo ano ocorre o mesmo desespero, quando se aproximam os meses de março e abril e o contribuinte fica afoito por conta desses impostos. Para dar conta de todos esses custos fiscais é necessário ter um planejamento tributário para reduzir um pouco esses impostos.

Um contribuinte da nossa classe média é taxado por volta de 27,5% dos seus rendimentos, se praticar alguma operação sujeita ao ganho de capital terá um custo de 15% sobre o lucro da operação executada. Isso sem contarmos o desconto de até 11% sobre seus rendimentos, o imposto, contribuições assistenciais, confederativas e outras taxas do sindicato representativo de sua categoria, sem contar com o IPVA, IPTU, anuidades de conselhos regionais (CRC, CREA, OAB), entre outros.

Todos os profissionais que são autônomos que escriturem o livro-caixa poderão deduzir as despesas decorrentes de sua atividade e quando o profissional se utiliza de seu imóvel residencial para o exercício de suas atividades, ele pode abater até um quinto de suas despesas no imposto de renda, tais como aluguel, condomínio, luz, água e IPTU.

Saiba como o contribuinte, quando devidamente documentado, poderá abater da sua base de cálculo de imposto de renda de pessoa física e não sofrer com toda essa retenção excessiva do imposto.

– Declaração de dependentes, por escrito. Cada dependente deduz a base de cálculo;
– O INSS retido deduz da base de cálculo, tanto para o autônomo quando para o assalariado;
– Contribuição de previdência privada, para os assalariados e dirigentes de empresa, desde que o valor seja encargo da pessoa física, no limite de 12% da renda tributável do contribuinte;
– Pensão alimentícia judicial, quando a fonte pagadora tiver a obrigação legal de reter.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *